segunda-feira, 21 de fevereiro de 2011

Gentileza gera gentileza

Oi, povo! Ando sumida, mas foi por justa causa rs. Como todos sabem, mamys está com câncer e a cirurgia foi no dia 04 de fevereiro. Por isso, vim muito para o RJ este mês, para ficar com ela e ainda venho no próximo final de semana. Então, acho que dá para imaginar a correria e a loucura que está minha vida, né?! Quero fazer uma pausa aqui. Gente, a Paulinha do Alegria em Detalhes é realmente uma fofa. Nesse período que estive ausente, ela entrou em contato comigo e enviou suas energias positivas e orações. Muito obrigada, Paulinha! Nessas horas é muito bom saber que muitas pessoas estão rezando pela saúde da minha mãe. As notícias são ótimas. Minha mãe está se recuperando muito bem da cirurgia e está com o astral altísssimo, diante das circunstâncias. Aliás, é incrível como ela é um touro. Muitos me falaram isso, quando eu fiquei sabendo e bateu o desespero. Confesso que balancei, porque é muito sofrimento para uma pessoa só e a gente acaba achando que a pessoa vai se entregar, mas é chocante como a minha mãe é forte e ama a vida. E mais do que tudo isso, ama eu e minha irmã. Sei que ela está escondendo toda a dor dela em algum lugar, apesar da gente não querer isso dela, mas ela faz mesmo assim, para dar conforto e segurança de que tudo vai dar certo pra gente. Dizem que isso é muito natural, quando se é mãe, mas eu continuo achando que isso é dom, é lindo, é maravilhoso e não é tão comum assim. E mais ainda, é difícil ser assim, deve dá um trabalho danado. Enfim, desculpem, mas eu tenho que achar rs, minha mãe é a melhor do mundo. Não vou mentir aqui e dizer que nosso relacionamento é perfeito, mas tenho que admitir que a parte ruim fica por minha conta e da minha mente perturbada hehe.
E perturbado está este início de ano. Muitas pessoas queridas estão ficando doentinhas. Quando estava no RJ, a querida Tia Lilia, mamy da minha mega ultra super amiga Ju, sofreu um infarto e foi parar no hospital também. Depois minha prima Silvana, da minha idade, com trombose. Mulheres, atenção!! Um dos motivos foi o anticoncepcional. A gente sempre ouve falar e acha que não vai acontecer com a gente, mas a Silvana é minha prima e da minha idade, apenas 28 anos (para umas coisas ainda me sinto nova, tá?!). E lá no hospital que ela está, tem meninas mais novas com o mesmo problema. Então, os exames e acompanhamento médico são sempre muito importantes (olha quem fala... nunca faço nenhum dos dois, quando se trata de parar e voltar a tomar pílula, mas façam o que eu digo e não o que eu faço!).
E para completar, agora, minha tia-avó Raimunda, velhinha, mas outra mulher de fibra, forte como um leão, também está hospitalizada. Não tá fácil pra ninguém! Oração, oração, muita oração!!
Eu andava sensível demais, mas com tudo isso, acho que estou mais forte e mais caridosa também. Coisas que me faziam um mal danado que pareciam ter uma enorme importância, já vejo com outros olhos. Além disso, cada pessoa, cada mensagem, cada carinho e atenção se tornam fundamentais.
Outro dia, estava trabalhando no Centro do RJ, quando resolvi ligar para minha grande amiga Fabi. Nós somos amigas desde bebês (se é que bebê tem amigos rs). Crescemos juntas, porque moramos a vida inteira no mesmo prédio. Fabi, é minha amiga do play hehe. Passamos um tempo afastadas, mas quando voltamos a sair juntas, retomamos nossa amizade de um jeito que tempo, distância, qualquer coisa não afasta mais. Acho que ela nem sabe, mas ela foi uma peça fundamental no quebra-cabeças da minha vida. Me ajudou muito a vencer etapas difíceis e a descobrir quem sou eu de verdade. E mais ainda a ter orgulho de quem eu sou. Nos aproximamos bem naquela fase da crise existencial. Enfim, é uma amiga que tem muito a acrescentar.
Nunca vou esquecer, uma vez que a gente foi à praia em um dia nublado. Até levamos casacos rs. A gente fazia coisas assim, que pra mim eram diferentes, porque eu não fazia com mais ninguém. E eram programas bem cariocas também. Costumo dizer que eu desbravei o RJ com a Fabi rs. Então, eu resolvi dizer que ela era muito importante pra mim e que sem perceber ela se tornou minha melhor amiga. Falei sem esperar retorno, porque eu queria falar. E aí o retorno foi super inesperado e gratificante. Ela disse que eu também tinha me tornado tudo isso pra ela. Ela disse que amiga pra ela, é quando pode ficar em silêncio, sem assunto, que não fica aquele clima constrangedor. Nossa, e isso a gente fazia demais, porque imagina só você fazer tudo com uma pessoa, morar no mesmo prédio e ainda dormir de vez em quando na casa dela. Não há assunto que não se esgote rs. E a gente nunca brigou, o que é muito raro comigo, confesso rs. Como ela tem uma personalidade muito forte e eu também, acho que conseguimos domar as feras que existem dentro da gente em prol da nossa conviência rs. Tudo a gente resolvia com uma ótima conversa. Minha irmã chegava a ter ciúme da Fabi. Sem precisar, é claro, porque minha irmã é minha irmã, mas é que nossa amizade é realmente muito bonita e houve um momento que foi divertida demais. A gente se metia em cada lugar inusitado, diferente, descolado e nos divertíamos demais. Os conselhos da Fabi são únicos. São sinceros, não magoam, acrescentam. Tanto é que a Fabi é muito querida por todos. Digamos que é uma madrinha de casamento super disputada ahahahah. E eu sou super fã dela, tenho muito orgulho dela, das suas decisões, de quem ela se tornou etc.
Havia um tempo que eu não falava com ela. Resolvi ligar e quando contei da minha mãe, desabei. Acho que foi o lance de falar com alguém querido. No mesmo dia a Fabi foi visitar a gente lá em casa. Chegou lá repleta de flores para mim, para minha mãe e minha irmã. Conversamos pra caramba! Contei do casório e disse que sem dúvidas ela seria minha madrinha, se aceitasse. Incrivelmente, ela ficou surpresa e feliz de um jeito muito sincero. E eu mais ainda, porque senti que tudo aquilo que ela significa pra mim, eu significo pra ela, à minha maneira. E a minha surpresa foi muito porque a Fabi hoje está casada com o Bruno, que super adoro também. Eles não casaram com festa, papel etc. Se juntaram e moram juntos, uma vida de casados, o que, de fato, é o casamento, no meu conceito. Eu sempre torci pelos dois, porque o Bruno é realmente muito cativante, mas o prox é que só daria pra Fabi ser minha madrinha. Sei que muito acham falta de etiqueta, de educação, sei lá, separar casais na hora de chamar para padrinhos, mas a Fabi não se chateou nem um pouco, super entendeu e mostrou que o importante era que ela vai ser minha madrinha, em nome da nossa amizade que eu amo de montão!

Um comentário:

Alegria em Detalhes disse...

Lu, que bom que:
- Que sua mãe está muito bem!;
- Está de volta e com todo fôlego;
- Que fechou o salão de festas para o seu casamento;
- Que adora ler (eu também amo!!);
- Está comentando tudo conosco!

Obrigada pela demonstração de carinho, viu?! Vai dar TUDO certo com nossas mães e pai (é, meu pai)!

Coisinhas a parte, tô muito feliz por você!

Fica com Deus e ótima semana,

Paulinha