sexta-feira, 27 de maio de 2011

Luxo de Festa 26/05

Como minha irmã diz, meus olhos brilham em eventos como esse rs. Achei o evento muito bom, em geral. Organização excelente!
Assisti a mesa redonda com o Bruno Chateaubriand e achei um espetáculo. Ele realmente soube conduzir a mesa redonda, tornando o papo descontraído, agradável e pertinente, com todo aquele jeitão carioca espontâneo dele, bem descolado. Quando ele abriu para perguntas, ninguém se manifestou e eu tive vontade de perguntar algo, só para puxar conversa e demorar mais um pouquinho, de tanto que eu estava gostando. Até minha irmã que acha tudo isso um saco e estava lá por causa de mim mesmo, adorou a mesa redonda.
Só hoje é que uma pergunta pertinente veio à minha cabeça lerda. Se bem que não sei se teria coragem de perguntar isso e estender o assunto, porque acabaria indo para o lado da crítica, ou no mínimo seria polêmico.
Queria ter perguntado para o representante da Inesquecível Casamento o porquê da edição do RJ só ter casamentos fotografados pelo Aszmann. Não sei se quem acompanha a revista já percebeu isso.
Quando eu morava no Rio, ouvi falar que a revista era dele, por isso só apareciam casamentos que fotografava.
Devo dizer também que, antigamente, quando a Realeza Carioca ainda não tinha sido invadida pelos Plebeus emergentes rs, o Aszmann reinava absoluto no mundo dos casamentos. Ele era sinônimo de tradição, glamour e requinte no mundo dos casamentos. Resumindo, o Aszmann era para quem podia! Só que o crescimento que o mercado de casamentos teve nos últimos anos acabou abrindo as portas para uma gama de fotógrafos novos e tão bons quanto o Aszmann, que tem sua estrela garantida no céu, sem discussões.
Portanto, para mim, o grande problema disso, é que a revista fica carente de diversificação, pois o casamento é visto pelos olhos de uma só pessoa, até chegar um momento em que fica engessada, sem muitas novidades. Fora que existem outros estilos de casamentos que não são o mesmo dos que o Aszmann cobre.
Ontem, havia um estande da Inesquecível Casamento no Luxo de Festa, e como a edição do RJ estava quentinha, resolvi comprar para me atualizar. Pura decepção, em relação aos casamentos reais, a mesma coisa de sempre. Acho que empobreceu a revista, pois é a minha parte preferida.
O Aszmann é o fotográfo dos casamentos tradicionais do RJ, sob o meu ponto de vista. E o mercado agora não se pauta mais em tradição, mas sim em novidade. Até mesmo os ricos não querem mais aquela mesmice.
Bem, achei uma pena e realmente queria dar esse toque pra eles.
Diante disso, só me resta dizer que a Inesquecível Casamento de Brasília está bem mais atraente do que a do RJ, devido à diversificação de fornecedores, inclusive de fotógrafos que ela apresenta. Para não ser injusta, preciso destacar que isso é só em relação aos casamentos reais, porque as colunas continuam ótimas e cada vez mais interessantes.
E se vc quiser se atualizar, de verdade, em relação aos casamentos que estão acontecendo por aí, encontrar dicas diferentes, compre a Noivas Rio de Janeiro. Esta sim, está ótima, atualizada e cheia de novidades.
Bem, mas voltando à mesa redonda, ouso discordar um pocuo do ponto de vista da Maria Virgínia, sobre recusar fazer o trabalho, quando o cliente quer algo que foge dos padrões de elegância, por exemplo.
Com todo o respeito ao patamar em ela está hoje, não acho mérito você recusar. Acho que o bom profissional, compra o desafio, e faz o milagre de tornar chique, algo que geralmente seria cafona. Sei que às vezes nem Jesus salva, mas caberia ser mais sutil quanto ao tema, mais discreta talvez, e não tão prática como ela foi. Achei toda a conversa dela meio esnobe, querendo o tempo todo dizer o quanto ela é boa, que é a melhor no que faz. Não sei, mas acho que tudo é a arte de falar...
Não questiono seu potencial, nem a qualidade de seu trabalho, mas ao invés de ficar falando o quanto ela é boa e única, deveria ter se preocupado em mostrar vestidos mais bonitos e diferentes e não cair no óbvio tomara-que-caia, que apesar de nunca sair de moda, está em desuso. O desfile que ela apresentou definitivamente não fez meu gosto. Só achei um vestido lindo, mas não casaria com ele. É questão de gosto mesmo!
Aliás, em questão de desfile, tb acho que a Idea Sposa decepcionou. Esperava mais dos vestidos. Com isso, me atentei à maquiagem e aos cabelos. Definitivamente, o Luiz Carlos me conquistou. Amei tudo!! Apesar do Luiz Carlos ser meu preferido, tenho que admitir que as maquiagens do Ricardo Maia tb estavam maravilhosas, apesar de não ter gostado muito dos cabelos.
Ah, ao final da mesa redonda, recebi um brigadeiro sabor morango, que estava espetacular.
A grande revelação da noite, para mim, foi Rogério Midlej. Gente, que voz... Melhor não comentar muito, pq nada que eu escrever estará de acordo com qualidade da sua música. PERFEITO!!
Sobre o anfitrião, só tenho elogios. Fez um evento maravilhoso, super organizado, bonito, e é humilde. Ele estava super descontraído na mesa redonda, quando estava próximo da gente. Quando todas as atenções se voltaram para ele, o abrir um evento grandioso que, pela primeira vez, ele fez sozinho, apareceu um César nervoso e emocionado diante da platéia.
Pelo pouco que falou, pude perceber o quanto ele é bom no que faz. Realizar um casamento com ele, como cerimonialista, deve ser um sonho. Ele se atenta a cada detalhe que vc nem pode sonhar. Enfim, realmente é muita frescurinha... que mulher A-D-O-R-A rs.

2 comentários:

Ju disse...

OLha, o povo daqui diz que a revista é dele sim, por isso só sai na revista quem fecha o casamento com ele. Eu confesso, que com o meu olhar de pessoa formada em comunicação, e de uma pessoa que realmlente gosta de fotografia, acho as fotos dele pobre. Não to dizendo que ele trabalha mal, longe disso. Mas ele descobriu a fórmula da pólvora e pronto. Não procura mudar, se atualizar.

Além disso, ele ainda fotografa em película, e não dá os negativos para os noivos. Então, toda a vez que os noivos quiserem dar algum presente para alguem ou revelar uma foto diferente tem que recorrer ao azzman, não acho isso certo. Se os noivos pagaram pelo serviço, aquelas fotos não são só dele, são dos noivos tb...

beijocas, ju

Lu Reis disse...

Ju,
já que vc falou, confesso que tb acho que ele tá meio ultrapassado. E não sabia qto ao método de trabalho dele. Tô chocada como tá antiquado.
Bem, mesmo a revista sendo dele, acho que poderia diversificar, pelo bem da revista. Até porque um trabalho não tem nada a ver com o outro. Se ele não confundisse, seria melhor.
Bjinhosss