quinta-feira, 2 de junho de 2011

Minhas gigantes

Escolher os convidados para a sua festa de casamento já é um parto. Escolher padrinhos então, nem se fala, principalmente para mim.
Homem geralmente não tem problema com isso, mas o meu tem rs. O Inho é uma pessoa super social e que curte valorizar quem realmente importa. No caso dele, não chega a ser um problema, porque ele é mais prático, os dele são tais e pronto! Só que as escolhas dele também não são poucas hehe. Até nisso, a gente combina.
Acho um tanto difícil escolher poucas pessoas para padrinhos. Tenho uma família enorme, que só não é maior, porque meus pais são primos. Nesse quesito, eu e inho temos mais algumas coincidências: meu pai tem 10 irmãos, o dele também; desses irmãos, 3 são mulheres, no caso do pai dele, é exatamente o contrário; e nós dois somos Reis, eu pelo meu pai e ele pela parte de mãe. União dos Deuses hehe.
Bem, mas fora os irmãos do meu pai, tem os outros 7 da minha querida Mamãezinha. E vcs podem estar pensando: "é só não chamar ninguém da família". Não posso concordar com isso, pois fui criada em família, com ajuda e apoio da família sempre que precisamos. Minha família, essa toda aí que falei pra vocês, incluindo tios e também os primos, são meu tudo. É no que eu sempre me segurei e tenho orgulho. Mesmo espalhada por esse imenso Brasil, somos muito unidos. Sem falar que casamento é uma festa de família, a festa que comemora o início da minha família. Como não colocar num pedestal pessoas que me ensinaram de perto o que é isso??
Fora a família, tem aqueles amigos que não são da sua família, por algum erro do destino, porque são mais presentes e mais inseparáveis do que muita gente da famíla rs. E tem aqueles amigos que por fazerem parte da sua história, por você ter um grande e inexplicável amor, também não podem ficar de fora.
Enfim, tenho muitas pessoas amadas, queridas, que fazem parte da minha história, da minha vida, do meu amor. Graças a Deus, sou rodeada de pessoas maravilhosas que importam muito pra mim, tanto quanto eu importo para elas, que não estão nem aí se vão ganhar presente por ser padrinho, que só querem estar lá, se sentindo mais que especiais. Prova disso é que o convite para padrinho/madrinha nem chega a ser motivo de surpresa ou espanto, de tão óbvio que é. Portanto, minha galeria de padrinhos ficou um tanto grande. E posso afirmar diante de qualquer um, que essa escolha também nada tem a ver com presentes. Não imaginamos nunca escolher padrinhos para ganhar muitos presentes, muito menos pela conta bancária de cada um. Se não puderem, ou não quiserem nos dar presentes, não é motivo para serem menos especiais. Tanto é que todos os que ofereceram ajuda até o momento, falamos a mesma coisa: "se você quiser e puder, espere a lista e escolha algo de acordo com suas possibilidades". Afinal de contas, não quero endividar meus entes queridos.
Então, para deixar menos pessoas de fora rs, resolvemos que vamos adotar a idéia das damas adultas.  No Brasil é algo novo, mas a tradição das damas de honra, também chamadas de bridesmaids ou demoiselle, surgiu na Idade Média. As amigas da noiva se vestiam de forma parecida e entravam antes dela no cortejo, para confundir os espíritos maus e afastar qualquer energia negativa de perto da noiva. Sendo assim, estarei devidamente protegida!
Li que, talvez por isso, seja muito comum nos Estados Unidos e Europa as damas de honra usarem vestidos parecidos, da mesma cor e, às vezes, do mesmo modelo, e carregarem um buquê, que pode ou não ser idêntico ao da noiva. Além disso, não impedem a escolha de daminhas e pajens.
Bem, aí mora umas das minhas dúvidas do momento, que é ter ou não ter daminhas. Necessidade não há, é um gasto a mais, já tenho muitas pessoas para entrar na Igreja, só tenho meninas muito grandes (a partir de 9 anos) ou muito pequenas (com menos de três anos). Eu acho mais bonito daminhas pequenas, mas nem tanto, para não correr o risco delas não entrarem, porque ninguém merece pagar o vestido pra nada, né? rs. Aliás, qual a melhor idade para ser daminha???
Então, há mais pontos que me façam optar por não ter daminhas, mas eu acho tããão lindo =/ É a coisa mais fofa do mundo. Sem falar nas roupitchas. Cada vestido mais lindo que o outro. E a foto tb fica graciosa com as pequenas notáveis...
Voltando às damas adultas, essas sim já estão mais que decididas: Minha irmã Susana, minha prima-irmã Rebeca, minha amiga-irmã Carolina (já falei bastante aqui dela) e minha amiga-irmã Juliana. Elas não entrarão iguais, mas parecidas. Os tecidos e cor serão os mesmos, apesar de estarem com modelos diferentes. Decidimos isso juntas, porque elas podem usar o vestido depois e porque cada uma tem um corpo e preferências. Como eu não quero ninguém desconfortável, prefiro que cada uma esteja do seu jeito, até para dar sua personalidade também ao meu altar. Minha irmã pulou longe quando eu falei em buquê ahhahahahah Ela  pediu, pelo amor de Deus, sem buquê! Aí eu falei: "Pelo menos uma rosa, dá?" Ela concordou, então entramos mais uma vez em sintonia.
Vai ser lindo e engraçado, porque elas não param de falar que vão entrar chorando. Se eu estivesse vendo, ia morrer de rir da cara delas hihihi